Um pouco sobre as vestimentas e cultura árabe

50

 

 Life Style
Maio 19.2017

 

50

Eu de Abaya – Foto: Acervo Style Guide

Num momento que surge uma grande curiosidade sobre as belezas do Oriente Médio é muito importante mostramos um pouco de suas tradições. E nada melhor que desmitificar as vestimentas árabes e entender um pouco do comportamento de um povo que consideramos tão diferente.

mebestEu com o Hijab e de Abaya – Foto: Acervo Style Guide

Apesar das mulheres no Oriente Médio viverem cobertas, as mulheres árabes estão entre as mais vaidosas do mundo. Aposto que você não sabia disso, né?

Pode ser uma surpresa para você, mas não para as grandes marcas de luxo do mundo ocidental. Não é a tôa que marcas como Dolce & Gabbana, Tommy Hilfigher, a DKNY, Mango, Zara e H&M investem em coleções de roupas e acessórios destinados apenas para mulheres mulçumanas.

A indústria de moda muçulmana está em franco crescimento. Segundo o jornal britânico “Telegraph” esse setor deverá valer cerca de 200 bilhões de dólares em 2020. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Hospital Saudi-German em Dubai, uma mulher saudita, por exemplo, gasta em média 3.200 dólares por ano só em cosméticos. As mulheres árabes se preocupam muito com a sua aparência.

Alguma dúvida? Basta perceber a ascensão da beleza árabe através de personalidades como a princesa Ameera al-Taweel, a fashion designer Razan Alazzouni e a Rainha da Jordânia Rania Al Abdullah. Todas são vistas constantemente pelos holofotes da mídia com e sem a famosa Abaya. Essas personalidades são consideradas bem “moderninhas” para alguns e, ao mesmo tempo, ícones de admiração para outros na comunidade árabe.

Batendo um papo com a então Editor in Chief da Vogue Arábia - DeenaEu e a Princesa Deena Aljuhani Abdulaziz, então Editora da Vogue Arábia – Foto: Acervo Style Guide

A Vogue Arábia entrou no mercado com força e já está na sua terceira edição. Fez um festão com as maiores personalidades da moda mundial em Doha, logo após a “Mindful Luxury Conference em Muscat-Omã”. Inesperadamente a Princesa Deena Aljuhani Abdulaziz, Editora Chefe da Vogue Arábia foi demitida dias após o lançamento da Vogue Arábia e após ter publicado apenas duas edições da revista. Eu conheci Deena na Conferência e batemos um longo papo sobre o Brasil e a moda nas arábias. Fiquei triste com sua saída, mas não surpresa. Ouvi boatos durante a conferência sobre sua inexperiência em conduzir a edição de uma revista de tal importância.

As personalidades árabes não são os únicos símbolos desse mercado que cresce a passos largos. O maior símbolo desse crescente e potente mercado são os grandes centros urbanos como Dubai e Doha. Símbolos do império árabe construído visionariamente por cima de um deserto e transformados em reinados de concreto de luxo e prazer. Tudo que eles colocam nesses grandes centros levam rótulos de luxo e qualidade. Os Shopping são dotados das melhores marcas do mundo. Todas as marcas querem ter um ponto de venda e ter seus melhores produtos presentes no Oriente Médio. Primeiro por terem conhecimento desse mercado emergente e pelo alto poder aquisitivo desses países. Sim, quem vai no Oriente Médio vê muita prosperidade!

Tenho certeza que você assim como eu tinha e tem muita curiosidade em saber o que existe por detrás das vestimentas como as Abayas e Burcas. Você já se pegou imaginando como são essas mulheres? O que será que elas escondem por debaixo da roupa tão conservadora?

Mesmo, muitas vezes, estando completamente cobertas é possível reparar como as mulheres árabes gostam de se produzir, a começar pelos lenços que usam para cobrir os cabelos. Muitos dos lenços, também conhecidos por aqui como hijab, são coloridos, ornamentados com estampas de bom gosto e cheio de apliques. Alguns têm ainda bordados, pedras preciosas e levam logos nada modestos – como por exemplo das famosas Chanel e Louis Vuitton. E elas investem fortemente em acessórios de luxo como bolsas, jóias e sapatos. Outra coisa que me chamou muito atenção é que elas tem várias maneiras diferentes de prender o lenço (hijab) na cabeça e vários apetrechos para deixá-los mais bonitos.

E se você pensa que por debaixo das Abayas você vai encontrar mulheres feias e descuidadas, você se engana! Você vai encontrar mulheres muito bem cuidadas, com cabelos longos e bem tratados, ironia pra quem vive com os mesmos cobertos, não é?!

Uma grande parte é detentora de um grande poder aquisitivo e podem investir em peças de couture! Então por detrás das vestimentas árabes existem mulheres com roupas exuberantes! Surpresamente!

E sim por debaixo das Abayas as mulheres usam roupas normais. Não se usam Abayas sem nada por debaixo.

Mas vamos entender de vez essas vestimentas árabes! Você sabe distinguir mesmas?

tiposdeveusislamicos

Foto/Arte: Reprodução/ Divulgação: El País

 

Fizemos um guia pra você entender um pouco mais dessas tradicionais vestimentas árabe!

16Eu de Abaya – Foto: Acervo Style Guide

A Abaya é uma vestimenta feminina árabe – é o traje feminino tradicional, quase universal, nos países árabes do Golfo: Arábia Saudita, Dubai e os demais Emirados Árabes Unidos, Catar, Omã, etc. A Abaya é um longo vestido negro, que se estende até os pés, e é vestimenta obrigatória para mulheres adultas em público em alguns países muçulmanos, como a Arábia Saudita.

burca
Burca – Foto: Reprodução/ Divulgação: Instagram
burca2
Burca – Foto: Vivimentaliun

 

Burca é uma veste feminina que cobre todo o corpo, até o rosto e os olhos, porém nos olhos há uma rede para se poder enxergar. É usada pelas mulheres do Afeganistão e do Paquistão, em áreas próximas à fronteira com o Afeganistão. Ela é um símbolo do Talibã.”

al-almira
Al-Amira – Foto: Vivimentaliun

Al- Amira – é usado para cobrir apenas cabelo e pescoço. É composto por duas peças: um véu apertado por cima da cabeça (tipo fita larga para o cabelo); e por cima leva um lenço em forma de gola que cobre a cabeça, orelhas e pescoço, ficando com a face descoberta.

xador

Chador ou Xador – Foto: Vivimentaliun

Chador ou Xador – manto negro que se coloca sobre a cabeça e corpo, mas que deixa a face, mãos e pés descobertos, precisando ser segurado pela usuária. É usado sobretudo pelas mulheres iranianas quando saem à rua.

 

 

nijab

Hijab ou Hijabe – Foto: Vivimentaliun

Hijab ou Hijabe – em geral, hijab é o vestuário usado pelas mulheres muçulmanas como forma de modéstia e respeito. Em particular, como peça de roupa, o hijab é o lenço usado para cobrir o cabelo e pescoço, deixando o rosto a descoberto.

niqab Niqab ou Nicabe- Foto: Vivimentaliun

niqab2Niqab ou Nicabe- Foto: Vivimentaliun

Niqab ou Nicabe– é, talvez, a veste mais conservadora depois da burca, já que cobre igualmente corpo e rosto, mas deixa a zona dos olhos a descoberto.

khimar2Khimar – Foto: Vivimentaliun

KhimarKhimar – Foto: Vivimentaliun

 

Khimar – Uma espécie de Hijab, só que este ao invés de ser um véu curto, ele vai até mais ou menos a cintura, cobrindo a cabeça. Em baixo do khimar, usa-saia ou roupas normais.

Shayla

Shayla – Foto: Vivimentaliun

Shayla – Assim como a Al-amira, também é fruto das revoluções femininas nos Emirados Árabes. Surgiu como uma alternativa para as mulheres que não se sentiam confortáveis sem véu nenhum ou como um acessório para entrar nas mesquitas, onde cobrir os cabelos é obrigatório (uso mais comun). Longa e retangular, é envolta ao redor da cabeça e presa na região dos ombros. Pode deixar pescoço e parte do cabelo à mostra.

Tendo isso explicado, vale lembrar que o Oriente evoluiu muito em termos de vestimentas. Em Muscat muitas mulheres vestem-se casualmente, mas com algumas restrições. Não mostram muito as pernas e ombros. Se mostram uma coisa não mostram a outra. Não me senti confortável de usar shorts na rua por exemplo. Tentei estar o mais composta possível, para evitar os olhares das mulheres e principalmente dos homens que com certeza não estão acostumados a tal exposição feminina!

Em breve faço um post especial sobre o que levar na mala para o Oriente Médio, não percam!

Em Dubai, me senti no ocidente! Existe a preservação da tradição, mas as pessoas são bem mais abertas a cultura do ocidente.

A questão de usar as Abayas é sobre manter uma tradição. Eu acho isso maravilhoso! Em Omã por exemplo as mulheres não são obrigadas a usar as Abayas, elas vestem porque querem manter a tradição. A obrigação de usar as Abayas ocorre na entrada de Mesquitas e em ocasiões especiais como funerais, casamentos, etc.

Eu amei usar a Abaya, e optei por usar a Abaya para que minha experiência fosse completa!

As vestimentas árabes não se limitam as mulheres, mas os homens também! Achei um quadrinho que exemplifica de forma bem sintética como distinguir as vestimentas masculinas:

Vestimentamasculina

 

Fiquei me perguntando por que a Abaya tem que ser preta e encontrei algumas histórias. Uma delas é que após uma longa guerra, séculos atrás, apenas restaram mulheres, que em homenagem a perda dos seus filhos e maridos, vestiram-se de preto, em eterno luto. Outros dizem que o fato das Abayas serem pretas é cultural. A verdade é que não há nada de fato que comprove e que explique o porquê das Abayas serem pretas.

Existem milhões de tipo de Abayas diferentes. Coloridas, com bordados, cheias de brilhos, com cristais, colarinhos de seda, mais justas, mais rodadas, com bordados em ouro, com detalhes em outras cores. Enfim as designers árabes tem incrementando muito essas vestimentas e as deixadas com a cara do tempo atual, revolucionado a maneira de vestir da mulher árabe sem perder a tradição! Eu preciso admitir que tive vontade de levar uma de cada!

A evolução da Abaya marca a mudança de comportamento de um povo. Aceitar a evolução é abrir-se para um novo mundo e é isso que está acontecendo. O interesse de visitar o Oriente Médio vem crescendo com essa evolução. E apesar de todo o preconceito em torno do radicalismo talibã de uma parte da comunidade mulçumana, a cultura árabe se mostra onipresente e superior pela sua suprema forma de conquistar visitantes e curiosos pelo bom gosto e qualidade!

E viva a tradição e a rica cultura do Oriente Médio!

Sorte daqueles que tem o prazer de desfrutar de suas belezas, riquezas e cultura!

E afirmo, vale muito conhecer o Oriente Médio!

Para conhecer um pouco mais sobre a cultura Omani vale a pela ler os artigos abaixo:

Omã – Muscat – Uma jornada inesquecível! – Parte 1

Omã – Uma jornada inesquecível! – Parte 2

Descobrindo os temperos e sabores árabes 

 

 

 

Fontes:

http://www.jornalissimo.com/atualidade/479-sabes-distinguir-entre-abaya-burca-e-niqab

http://sigamari.blogspot.com.br/2015/03/abaya-e-vestimentas.htmlhttp://www.jornalissimo.com/atualidade/479-sabes-distinguir-entre-abaya-burca-e-niqab

http://sigamari.blogspot.com.br/2015/03/abaya-e-vestimentas.html

http://www.brasileiraspelomundo.com/arabia-saudita-por-debaixo-da-abaya-342021579

https://vivimetaliun.wordpress.com/2016/06/24/entenda-a-diferenca-entre-os-principais-tipos-de-veu-islamico/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share This:

Gaby Negromonte

Autor: Gaby Negromonte

Mãe, Estilista, Stylist, Consultora Criativa, Consultora de Moda, Consultora de Imagem, Técnica em Ciência Têxtil, Empresária, Turismóloga, Globe Trotter, Poliglota e Curiosa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *